Oi gente!!! Hoje vou explicar a diferença entre bazar e bechós mas antes queria explicar para quem acompanha a Garimpo e o projeto #365diasdebrechó ja deve ter percebido um pouco a minha ausência. O motivo é um só, o tal do cansaço! Raramente falo aqui da minha vida em detalhes, mas acho bacana explicar por que tenho feito menos posts do que deveria e gostaria. Queridos, além da Garimpo eu tenho uma rotina intensa durante a semana com a faculdade e o estágio. Para ajudar esse ano me formo, então também estou na correria com o TCC e resolvi tirar minha habilitação no horário da noite, ai você junta a tudo isso, a vida social, trabalhos de fim de semestre, freelas, as vendas da Garimpo brechó, namorado, entre outras coisinhas da vida e pronto, cade o tempo da Garimpo!? Pois é, ta faltando hora no meu dia e além de tempo falta cabeça para parar, sentar e escrever algo de bom por aqui, então peço paciência nesse período pois não ta fácil não essa vida de gente grande, hahaha.

Bem, tudo explicadinho vamos agora ao que interessa! O post de hoje é bem simples mas super importante, qual a diferença entre bazar e brechó!? Você sabe? Acho que vale muito a pena ressaltar essa diferença para que as pessoas possam compreender por que um bazar as vezes não é todo bonito e super atraente como alguns brechós “boutique” que existem por ai, o que acaba as vezes até causando um certo pré-conceito a respeito de tudo que esta nos bazares. Enfim, os dois são para vender roupas usadas mas com finalidades diferentes, calma que vou explicar.

bazar

Sim, antes eu achava que era tudo a mesma coisa, dois nomes para o mesmo objetivo, mas com o tempo e com o projeto aprendi a diferença entre as duas coisas, que na verdade é bem simples. O Bazar normalmente recebe doações e vende as roupas com o intuito de ajudar alguma causa ou local. Um exemplo é o bazar da Acacci que recebe doações e toda a renda é revertida para auxiliar o hospital e pacientes que necessitem. Já o Brechó é particular, uma pessoa é a dona e compra e revende as peças para ter o lucro próprio, é um negócio como qualquer outro.

Sabendo isso a gente começa a compreender por que os bazares não são bonitos e bem decorados como alguns brechós, a questão é que eles não tem grana para investir em decoração e normalmente quem trabalha em bazar também é voluntário e não ganha nada para isso. Já o dono do brechó tem grana e pode investir mais no negócio, ter vendedores, e ostentar uma decoração com objetos vintage e etc. Sem contar que muitos brechós na verdade tem poucas roupas de segunda mão e investem mais na questão do outlet, da consignação com roupas fora de estação de algumas lojas/marcas, então as vezes acontece de usarem o nome brechó mais para atrair clientes do que necessariamente vender roupas de segunda mão com preços baixos.

Frequento muitos bazares por conta do projeto, e realmente não são tão bonitos mas são onde mais encontro peças bonitas e diferenciadas, claro que tudo é uma questão de garimpo bem feito, de olhar item por item, de experimentar tudo, mas acima de tudo de não ter preconceito com a aparência do ambiente. Sem contar que é uma forma bem legal de ajudar quem precisa, você se da bem levando uma peça pra casa bonita e barata, faz um consumo consciente reutilizando roupas, e a grana que você paga por isso é destinada a uma boa causa, bacana né!? Pensar que além de se ajudar economizando você ainda esta contribuindo para algo maior!?

Então, entenderam agora a diferença entre as duas coisas e por que elas são diferentes? Acho importante falar sobre isso para que assim mais pessoas deixem o preconceito com as peças usadas de lado e passe a frequentar e consumir mais em bazares, pois o mundo agradece!