Preciso admitir, por algum motivo desconhecido e que não sei explicar demorei e até hesitei muito para ouvir Tame Impala. Não sei, achava que a banda era hype demais para mim, que um dia curti todas as bandas indies que você pode imaginar, mas que atualmente andava bem antipática e desatualizada desse universo.

Mas essa hesitação toda não serviu de muita coisa quando meu namorado chegou e disse “senta aqui que você precisa escutar esse som”, pois bem, sentei e fiquei literalmente hipnotizada pelo o que eu ouvia. Uma coisa meio anos 60, psicodélica, o tipo de som a lá The doors que outrora eu ouvia todos os dias na minha adolescência. É, foi assim que Tame Impala entrou na minha vida pra ficar.

Tame Impala = psicodelia

tame impala

A banda australiana foi criada por Kevin Parker (vocal / guitarra) e Dominic Simper (baixo), logo depois se juntaram ao grupo Cam Avery (baixo e vocais de apoio), Jay Watson (sintetizador, vocais de apoio e guitarra),e Julien Barbagallo (bateria, vocais de apoio). A banda ficou muito famosa no Myspace em 2008 e no mesmo ano lançou um EP homônimo. Em 2010 saiu o tão esperado primeiro álbum Innerspeaker que afirmava ainda mais o tom psicodélico da banda e a forte influência de sons dos anos 60 e 70.

Em 2012 a banda lançou o segundo álbum ‘Lonerism’ que trazia as musicas Mind Mischief e Elephant que foram muito elogiadas pela crítica e se tornaram um sucesso quase que instantâneo.

(PS:  Ouça essa musica com fones de ouvido e sinta um pouco da sensação do lsd na sua mente. rs)

Em 2015 veio o disco ‘Currents’ onde Parker fez literalmente o álbum todo em seu home studio. Ele compôs, tocou, gravou, produziu e mixou o terceiro disco de sua banda completo, sozinho, e o resultado ficou perfeito. Nesse disco os sintetizadores ganharam um grande destaque, e o estilo ficou mais ligado ao pop e R&B.

As musicas Let it happen e The moment deixam essa característica mais dance do álbum muito evidente. Mas são tão boas quanto todas as outras dos discos anteriores. O interessante é que sua playlist nunca será monótona quando unir todas as musicas já produzidas pelos caras do Tame Impala.

Os clips da banda são uma atração a parte, a maioria deles parece mesmo uma grande viagem de LSD, coloridos e psicodélicos, merecem uma atenção especial da sua parte.

Esse é o tipo de som que faz bem ter na playlist, vai por mim, seus dias serão muito melhores se tiverem uma dose de Tame Impala nele.