Desde abril desse ano estou fazendo o #JeeNoBrecho que é meu projeto pessoal de passar um ano comprando somente roupas de brechó ou trocando em feiras de trocas, ainda tenho alguns meses pela frente, mas já posso dizer que está sendo uma experiência incrível e cheia de aprendizados. Sempre me interessei por moda e sempre fui consumista, nunca tinha comprado de brechó antes de começar o projeto, mas já tinha participado de algumas feiras de trocas e desde pequena sempre ganhei muitas peças de primas mais velhas então roupa usada nunca foi um problema, esse ciclo de comprar, doar e ganhar sempre foi bem comum aqui em casa.

A ideia de comprar apenas de brechós e falar sobre isso surgiu da vontade de questionar o modo que estamos consumindo a moda hoje junto com algo que fosse acessível para todo mundo. Queria juntar a moda consciente, responsável com a moda acessível para todo mundo e assim que pensei nos brechós e começou todo o projeto. Acredito muito que brechós e trocas são um passo importante para começarmos a pensar e repensar o nosso consumo e a nossa relação com a moda, independente de classe social, é um caminho possível para todo mundo.

roupas de brechó

Um dia no brechó – foto: jeenobrechó

1 anos usando roupas de brechó

Desde que comecei o projeto uma coisa que mudou muito é a minha relação com quem vende as peças, sempre comprei muito de fast fashion então eu basicamente entrava, escolhia as peças que queria, pagava e ia embora. Nos brechós eu entro, olho tudo, muitas vezes converso com o pessoal do brechó, eles me contam como funcionam, como garimpam as peças e consequentemente criamos uma relação e uma troca muito bacana.

Também passei a me preocupar mais com as minhas peças, por exemplo minha primeira jaqueta garimpada no brechó é meu xodó e já tenho um carinho por ela, quero que ela dure muito então passei a pesquisar e entender como é importante guardar bem as nossas peças, lavar adequadamente e ter cuidado com elas, parece bobo, mas são detalhes assim que fazem a diferença afinal se as nossas peças durarem mais, não vamos precisar comprar outras tão cedo.

Customização e aprender a costurar pelo menos pequenos reparos também vieram no pacote de brechós e trocas, eu já fazia pequenas customizações quando ganhava algumas peças e passei a fazer mais com as peças dos brechós é incrível como a gente passa a enxergar o potencial de cada peça mesmo que com pequenos defeitos. Não acho que ninguém precise virar uma profissional da costura, até porque eu nem sou, costuro bem pouco e só reparos básicos, mas acho legal tentar e valorizar quem faz as peças, quando tentamos costurar algo ou fazer um simples reparo percebemos o quanto é difícil e delicado então temos que valorizar bastante quem faz esse trabalho.

roupas de brechó

Jaqueta customizada –  foto: jeenobrechó

Em questões de estilo, os brechós e as trocas me trouxeram muita liberdade para tentar e experimentar peças que eu não compraria na lojas, recentemente por exemplo garimpei um macacão lindo em uma feira de trocas, eu sempre vi vários macacões nas lojas e nunca tinha coragem de comprar um porque achava que ia gastar com um item que eu não ia usar, não ia gostar, mas na feira de trocas vi ele lá, resolvi dar uma chance e tô apaixonada por ele. Como as peças dos brechós são mais baratas e quando é troca você não gasta nada, apenas desapega das suas peças, eu sinto muito mais liberdade para tentar novos looks, novas peças e brincar com tudo isso é incrível.

roupas de brechó

Evento de troca Gaveta/macacão que veio na troca foto: jeenobrechó

Ainda tenho mais alguns meses de projeto, tenho certeza que vou aprender e me divertir mais ainda e também tenho certeza que vou continuar comprando de brechó e trocando em feiras depois desse um ano e espero empolgar cada vez mais gente a garimpar peças em brechós e trocar itens por aí e que seja um processo divertido e cheio de aprendizado pra todo mundo que decidir se jogar nos garimpos.