Bem, vou começar esse post de forma bem honesta, empreender NÃO é pra todo mundo! Se você é apegado a regras, horário fixo e a segurança do salário certinho na conta do fim do mês, já pode parar de ler por aqui. Maaaaas, se você ta cansada de trabalhar pros outros, ta sentindo cada vez mais vontade de ter um negócio pra chamar de SEU e tem muita força de vontade, prossiga na leitura que vou contar aqui um pouco da minha experiência e dar dicas para te ajudar a dar esse passo importante na sua vida.

Primeiramente precisamos falar sobre perfil, muita gente tem vontade de começar seu negócio, mas essa mesma pessoa as vezes pode ser um pouco acomodada demais para isso, então pra começar a falar sobre isso você precisa já começar a se auto analisar pra ver como você é quando o assunto são desafios diários de aprendizado e inovação.

Eu vou falar por mim, sempre fui uma pessoa curiosa, daquelas que tem vontade de aprender tudo e que não aceita de forma alguma “não saber fazer algo”, sim, eu vivo me desafiando por que é isso que me move, então pensar em empreender para mim não foi o fim do mundo, foi só mais um desafio em que me coloquei, foi natural. Sabia que seria difícil, que eu teria que aprender muitas coisas e ser minha própria chefe e motivadora pessoal.

empreender

Como comecei a empreender?

A primeira vez que decidi empreender foi lá em 2014, no fundo eu só queria uma graninha extra para complementar meu salário de estagiária. Comecei a vender roupas usadas bem informalmente. Em 2016 por conta da crise, me vi de novo precisando fazer algo para ganhar dinheiro, foi então que decidi começar o brechó no Instagram, tomei essa decisão 100% por necessidade e não por opção. Nas duas situações eu optei pelo brechó por que era o que eu sabia fazer de melhor. Mas pra isso eu aproveitei todos os conhecimentos adquiridos em empregos anteriores, trabalhei como vendedora (entre idas e vindas) desde os meus 16 anos, com o tempo fui ficando boa nisso. Uni a essa facilidade com as vendas minhas habilidades com moda, montar looks legais, saber garimpar peças boas e além disso eu sou uma designer, comunicação visual era fácil pra mim.

Daí eu começar um brechó era um caminho natural! Era um campo que eu sabia onde estava pisando, sabia que era boa nisso e que saberia fazer da melhor forma possível a fim de ganhar um grana. Ou seja, juntei tudo o que aprendi nos empregos ruins e apliquei no meu negócio.

empreender

Organize-se financeiramente antes!

Em 2017/2018 fui atras do emprego fixo, consegui. Ganhava mal, trabalhava muito e ainda precisava aguentar um chefe egocêntrico e megalomaníaco. Um dia, já cansada da rotina e aguentar tantos mandos e desmandos, saindo do trabalho as 23h, meu chefe me chamou para conversar. Conversa vai conversa vem, ele me disse uma frase que destruiu meu mundo: “essa empresa é o meu sonho, e eu sei que ela é seu sonho também” BOOOOM!!!!!! explodi por dentro, sair as 23h diariamente do emprego não era meu sonho nem aqui nem na China, ouvir essa frase e pensar nos meus sonhos (é clichê, eu sei!) foi o que me fez pedir demissão da empresa.

Claaaaro que eu me planejava para isso a um tempo, não sou nenhuma louca e muito menos tenho família rica para me bancar, as contas precisavam ser pagas e eu precisava de grana. Tinha uma grana guardada, o marido também apoiou porque sabia e tinha visto que o brechó era rentável, e foi assim que novamente voltei pro brechó. Antes da decisão final, estruturei minimamente o brechó, comprei o que precisava pra deixar ele mais profissional, investi em um bom celular para isso, comprei roupas, comprei manequim, enfim…primeiro eu tentei sentir e tatear o mercado, para só depois sair de vez do emprego.

empreender

Como está sendo?

Sou totalmente contra romantizar a ideia de ter seu próprio negócio, simplesmente porque é MUITO difícil! Você trabalha MUITO, o tempo todo basicamente. Você é sua própria chefe e sua própria funcionária e precisa lidar com essas responsabilidades diariamente. Você precisa estar aberta a aprender algo novo sempre, precisa saber o momento de insistir em uma ideia e também a hora de deixa-la pra traz. O cansaço e o medo são uma constante na sua vida, da ansiedade e as vezes até desespero.

Mas sabe o que me motiva no meio disso tudo??? É saber que é por mim, para mim, É MEU! É saber que estou fazendo algo que acredito, é me sentir plena quando um cliente elogia meu trabalho ou quando alguém indica meu negócio. Fazer o que a gente acredita é sim GRATIFICANTE, não há sensação melhor no mundo. Dá um quentinho no coração todo dia, é uma corda bamba cheia de emoção, onde o equilíbrio é fundamental para a gente se manter em pé, na atividade.

Se você curtiu esse assunto, assista o vídeo que gravei com a Julia e a Carla, que também contaram como foi a experiência delas saindo do mercado de trabalho pra empreender.

empreender

Compartilhe sua experiência empreendendo aqui nos comentários também. Dúvidas, sugestões e criticas são sempre bem vindas. Sinta se em casa!